MG altera tributação do setor de transporte de cargas



08/09/2014 às 05h00

A partir de 1º de outubro, o vendedor ou remetente da mercadoria vai permanecer responsável pelo recolhimento do ICMS apenas se o transportador for autônomo ou inscrito como contribuinte em outro Estado. Nos demais casos, o próprio transportador terá que fazer o recolhimento do imposto estadual.

A mudança é significativa porque reduz uma série de obrigações para todas as empresas que usam o serviço em Minas. "Hoje, elas têm que fazer o cálculo do imposto, emitir nota fiscal para recolher o ICMS e são penalizadas se não o fizerem. Com a mudança, será uma obrigação acessória a menos", afirma a consultoria Maria das Graças Lage de Oliveira, da Lex Legis Consultoria Tributária.

A alíquota do ICMS para o serviço de transporte de cargas nas operações interestaduais é de 7% ou 12%.

Até o fim do mês, o remetente da mercadoria (tomador de serviço) é o responsável pelo recolhimento do ICMS em razão do sistema de substituição tributária. Por meio deste sistema, adotado desde 2006, o imposto é antecipado por uma empresa da cadeia produtiva.

O novo decreto também estabelece isenção do ICMS para a prestação interestadual de serviço de transporte rodoviário de cargas realizado por meio de subcontratação no Estado de Minas Gerais. O benefício também entra em vigor no dia 1º de outubro.


Leia mais em:

http://www.valor.com.br/legislacao/3686060/mg-altera-tributacao-do-setor-de-transporte-de-cargas#ixzz3CkB4JP

JORNAL VALOR ECONÔMICO - ACESSADO EM 08/09/2014



Rua Caldas, 99 - Carmo Sion . CEP 30310-560 - Belo Horizonte - MG
Telefax: (31) 3304-4000 | email: lexlegis@lexlegis.com.br